Newsletter Compreingressos

Seja o primeiro a conhecer nossa programação de espetáculos, novidades, promoções e ofertas exclusivas

seu estado

  • AC
  • AL
  • AP
  • AM
  • BA
  • CE
  • DF
  • ES
  • GO
  • MA
  • MT
  • MS
  • MG
  • PA
  • PB
  • PR
  • PE
  • PI
  • RJ
  • RN
  • RS
  • RO
  • RR
  • SC
  • SP
  • SE
  • TO
cadastrar
Cidade
Gênero
X
Comédia L 45 min Sinopse Fotos Vídeos R$ 20,00 à R$ 40,00
Sinopse Fotos Vídeos

O Compositor Delirante

Endereço

Praça Franklin Roosvelt, 158
Centro - São Paulo - SP

ver google maps

Temporada

Quarta e Quinta 21h00

10 de Janeiro a 28 de Março de 2018

Ingressos

R$ 20,00 à R$ 40,00

Valores

R$ 40,00 inteira
R$ 20,00 meia

Ficha Técnica

Concepção, texto e atuação: Daniel Kronenberg
Provocação cênica e preparação corporal: Gabriel Bodstein
Iluminação: Flavia Servidone
Operação de som: Paulo Akio
Produção: DKG Soluções Lúdicas
Fotos: Michael Pablo Bursztein
Assessoria de imprensa: Bemelmans Comunicações

Comédia L 45 min

O Compositor Delirante

Espaço Parlapatões

Centro - São Paulo - SP

Reestreia da peça O Compositor Delirante no Espaço Parlapatões

Inspirado na música de Beethoven, monólogo de Daniel Kronenberg fala das inquietações do artista.
Dia 10 de janeiro de 2018, quarta-feira, às 21h, reestreia a peça O Compositor Delirante, solo escrito e interpretado por Daniel Kronenberg, no Espaço Parlapatões. O espetáculo é inspirado na vida e obra do compositor austríaco Ludwig van Beethoven. Ingressos a R$ 40,00 e meia-entrada.

Com provocação cênica de Gabriel Bodstein, o monólogo coloca em foco o artista com seus questionamentos. Numa tentativa enlouquecida de organizar sua trajetória, a personagem Beethoven trava discussões políticas, filosóficas e de ordem artística com Mozart, Haydn, Goethe e com o próprio pai, além de outras pessoas imaginárias.

A surdez, a loucura e a necessidade de quebra de paradigmas são as tônicas do espetáculo, costurado pela música do compositor, que permeia toda a encenação, dando cadência e ritmo às argumentações da personagem.

Segundo Daniel Kronenberg, a escolha da música clássica e especialmente a de Beethoven como tema da montagem tem relação com a potência de sua obra e o seu impacto transformador, aliada à sua própria necessidade, como artista, de trazer para o palco apontamentos e questionamentos sobre o artista na sociedade contemporânea. “O espetáculo estabelece uma relação intensa entre os impulsos desse artista, a exemplo de sua inadequação aos padrões socialmente aceitos, mas é importante frisar que ele foi a inspiração. Suas palavras foram alimento para meu discurso autoral”, comenta o ator.

Em meio à solidão e ao escasso traquejo social, a surdez da personagem impede seu contato com o mundo exterior, mas não impede o chamado para exteriorizar a si mesmo: um telefone não para de tocar e o convoca a conversar com outros compositores clássicos e até mesmo com suas amantes. Com seu pai, ele questiona o excesso de rigor de sua criação; com Haydn, indaga sobre uma nova possibilidade de se viver a arte; com Goethe, critica a apatia e a falta de espírito criador, com Mozart, confessa sua inaptidão como compositor; e com suas amantes - Josefina, Julieta e Antonia -, adota seu lado mais romântico, no sentido mais óbvio da expressão. O telefone é um elemento cênico importante que caracteriza a subjetividade da loucura, enclausurada pela surdez.

O espetáculo privilegia o discurso que funde a manifestação artística autoral com a possibilidade de rever condutas e experiências revolucionárias na mudança do pensamento ocidental - o romantismo. O Compositor Delirante mostra que o caráter revolucionário e transgressor do artista permeia um universo onde o romantismo predomina à lógica, a razão perde terreno para a intuição. A encenação é carregada de elementos românticos, seja na figura de Beethoven, com sua insurgência contra as doutrinas retóricas e tradicionais, seja no tom do discurso que adota com suas amantes, seja no argumento revolucionário com que defende o espírito criador do artista, uma lida pacífica com seus próprios demônios.

Daniel Kronenberg - Como assistente de direção, conduziu o projeto Poeta em Cena, em parceria com a Casa das Rosas. Em cinema e TV, atuou em curtas-metragens e na minissérie A Teia (Rede Globo). É autor e intérprete do monólogo teatral O Compositor Delirante, inspirado na vida e obra do compositor Beethoven. Como Seu Molina, seu personagem clown, faz intervenções cênicas urbanas com ênfase no incentivo à leitura. Seu Molina Entrevista é um programa de entrevistas no Youtube, com convidados e temas variados (www.youtube.com/seumolina). Participa de eventos como apresentador, mestre de cerimônias e palestrante, com destaque para os projetos Pra Ler e Espaço de Leitura, no Parque da Água Branca, ambos da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo. É também autor do blog http://medium.com/danielkronenberg. Atualmente, prepara a publicação de seu primeiro romance e sua primeira coletânea de contos.

*Sinopse sob total responsabilidade da produção do evento.

Outros Espetáculos

A SOGRA QUE PEDI A DEUS

Teatro Ruth Escobar

São Paulo - SP

Comédia

Próxima apresentação

Sexta

14 de Dezembro

A SOGRA QUE PEDI A DEUS

Teatro Ruth Escobar

São Paulo - SP

Comédia

Próxima apresentação

Sexta

14 de Dezembro

Alexandre Porpetone em La Pergunta?

Teatro BTC

São Paulo - SP

Comédia

As Filhas da Mãe

Teatro Bibi Ferreira

São Paulo - SP

Comédia

Próxima apresentação

Sábado

19 de Janeiro