Newsletter Compreingressos

Seja o primeiro a conhecer nossa programação de espetáculos, novidades, promoções e ofertas exclusivas

seu estado

  • AC
  • AL
  • AP
  • AM
  • BA
  • CE
  • DF
  • ES
  • GO
  • MA
  • MT
  • MS
  • MG
  • PA
  • PB
  • PR
  • PE
  • PI
  • RJ
  • RN
  • RS
  • RO
  • RR
  • SC
  • SP
  • SE
  • TO
cadastrar
Cidade
Gênero
X
Documentário Poético 12 80 min R$ 12,00 a R$ 24,00

Marilyn Monroe.doc
(Teatro da Câmara)

Endereço

Avenida Amazonas, 315
Centro - Belo Horizonte - MG

ver google maps

Compre pelo telefone de segunda a sábado das 11h às 19h

(31) 2626-1251

Temporada

Sexta e Sábado 20h
Domingo 19h

02 a 05 de Fevereiro de 2017

Ingressos

R$ 12,00 a R$ 24,00

Descontos

50% para pessoas de idade igual ou superior a 60 anos.
50% para estudantes.

* A carteira de estudante obrigatoriamente deve ser apresentada no acesso ao espetáculo e no ato da compra pela bilheteria. Não são aceitos boletos e comprovantes de matricula.

Valores

R$ 24,00 inteira
R$ 12,00 meia
R$ 15,00 SINPARC

OS INGRESSOS SERÃO VENDIDOS NOS POSTOS DO SINPARC.
NA BILHETERIA DO TEATRO SERÃO VENDIDOS OS INGRESSOS UMA HORA ANTES DO EVENTO.

Ficha Técnica

Atuação e Assistência de Dramaturgia: Thaís Coimbra e Ítalo Mendes
Dramaturgia e Encenação: Juarez Guimarães Dias
Citações Diretas: Anne Plantagenet, Norma Jeane/ Marilyn Monroe, André de Dienes, J. RandyTaraborrelli, François Forestier, Anthony Summers, Joan Mellen
Cenografia: Fernanda Coimbra e Diego Benicá
Figurinos: Thiago Bernardo
Visagismo: Tiago Colombini
Assessoria de Caracterização: Cacá Zech
Assessoria de Movimento: Sávio William
Preparação Vocal: Priscilla Cler
Trilha Sonora: Luiz Rocha
Iluminação: Arthur “Arock” Diniz e Cézar Frank
Audiovisual: Luiz Henrique Marques e Fernanda Coimbra
Fotografia: Matheus Soriedem
Design Gráfico: Amanda Coimbra
Registro Audiovisual: Luiz Henrique Marques
Registro Fotográfico: Amanda Coimbra
Operação de luz: Cézar Frank e Arthur “Arock” Diniz
Operação de som e audiovisual: Fernanda Coimbra e Bernardo Rocha
Contrarregragem: Ana Paula Torres
Tradução de textos em inglês: Pablo Gomes
Produção: VINCO – Projetos Gráficos e Produções Culturais (Thaís Coimbra)
Assessoria de Comunicação: Ana Carolina Dias e Vítor Cruz
Orientação de Pesquisa: Ed Andrade e Juarez Guimarães Dias
Realização: Grupo Dois Palitos

Estacionamento

Estacionamento Estacione, localizado na Rua Espírito Santos, nº 625.

Em dias de espetáculos, de segunda a domingo, o público do Cine Theatro Brasil Vallourec poderá deixar o veículo no Estacione a partir das 19h ao preço fixo de R$ 15,00. É necessária a apresentação do ingresso do espetáculo para poder usudruir do valor conveniado. O Visitante tem até 1 hora após o evento para retirar o veículo do estacionamento.

No fins de semana, o visitante poderá estacionar 1 hora antes do espetáculo e sair 1 hora depois, a utilização do estacionamento fora desse período irá gerar cobrança de acordo com a tabeça de preços da Estacione.

A entrada principal do estacionamento conveniado é a da Rua Espírito Santo. No entanto, decorrido mais de 1 hora após o término do espetáculo, o visitante terá acesso por outra entrada, a Rua da Bahia, 600.

Estacionamento na Rua
Para os visitantes que deseham estacionar os veículos na ruas próximos ao Cine Theatro Brasil Vallourec, a BH Trans liberou as seguintes vias:

Canteiro Central da Avenida Amazonas, no quarteirão do cine Brasil (nos dois sentidos).
Canteiro Central da avenida Afonso Pena, em frente ao Cine Brasil (sentido rodoviária/mangabeiras)

Horários
De segunda a sexta das 20h as 5h
Sábados a partir das 14h

Para mais informações(31) 3889-9151

Informações

-É expressamente proibido o consumo de alimentos no interior do teatro
-Perde-se o direito ao lugar marcado após o início da sessão.

Espetáculo Marilyn Monroe.doc revela a mulher por trás do mito hollywoodiano
Com cinco indicações ao 2º Prêmio COPASA/SINPARC 2015, montagem tem formado diferenciado e discute a imposição de padrões estéticos às mulheres pela cultura de massas e a mídia
Marilyn Monroe.doc

Período: 2 a 5 de fevereiro
Horário: quinta, sexta e sábado, às 20h; domingo, às 19h
Local: Teatro de Câmara do Cine Theatro Brasil Valourec
Endereço: Praça Sete - Rua dos Carijós, 258, Centro

Desta vez, o espetáculo Marilyn Monroe.doc, do Grupo Dois Palitos, traz uma identidade visual completamente nova, inspirada no último ensaio profissional de Marilyn Monroe, feito pelo fotógrafo Bert Stern, e que ficou conhecido como The Last Sitting ou A Última Sessão. Muitos dos registros foram reprovados pela atriz, mas isso não impediu que as fotografias se tornassem históricas e reforçassem, ainda mais, a imagem do mito hollywoodiano que completou 90 anos de nascimento em 1º de junho deste ano.

Com dramaturgia e encenação de Juarez Guimarães, Thaís Coimbra no papel de Marilyn e Ítalo Mendes interpretando as diferentes pessoas que passaram pela vida da atriz, a peça em formato de Teatro Documentário, apresenta vários recursos imagéticos e bibliográficos, para narrar a trajetória de Norma Jeane Mortenson, uma jovem do interior dos Estados Unidos, gaga e desengonçada, que se transforma em uma das figuras mais cultuadas do século XX. Entre referências bibliográficas e teorias sobre os amores na vida de Marilyn, o espetáculo também discute a imposição de padrões estéticos às mulheres pela cultura de massas e pela mídia.
A negação de um mito – Em 1962, o renomado fotógrafo de moda e de publicidade Bert Stern se reuniu com Marilyn Monroe na suíte de um luxuoso hotel de Los Angeles para acertar detalhes sobre um novo ensaio. Em três sessões, foram tiradas mais de duas mil fotografias, revelando uma Marilyn sensual, despida, com pouca maquiagem e completamente entregue às lentes de Stern. Muitas das fotos de Bert Stern estão marcadas com um X feito de caneta vermelha. Essas marcas são da própria atriz, que assinalou os negativos das fotografias que ela rejeitou.
Seis semanas após esse ensaio, Marilyn faleceria. As imagens, embora mutiladas pela atriz, passaram a circular pelo mundo, reafirmando que o sex symbol permaneceria intacto na memória de todos. É a partir desse viés de construção e desconstrução de um mito do cinema que Marilyn Monroe.doc volta aos palcos de Belo Horizonte para contar a história por trás da mulher que se dividia entre o glamour das celebridades e as dores e angústias de uma pessoa que sofria de depressão e lutava contra o vício.

Teatro Documentário – A peça traz elementos de pesquisa como fotografias, vídeos e documentos que se unem à exposição em cena dos processos de montagem utilizados para a construção do espetáculo e da personagem para apresentar os principais acontecimentos da vida de Monroe, muitos deles desconhecidos e não divulgados pela grande imprensa. Dividindo o palco com a protagonista, Ítalo Mendes interpreta diversas personagens que estiveram presentes na vida de Norma Jeane/Marilyn, como uma das mães adotivas, o primeiro marido, um de seus coaches profissionais, produtores e também o galã Frank Sinatra. As biografias dos atores também compõem a dramaturgia, ressaltando o caráter humano do trabalho do intérprete.

O diretor Juarez Guimarães ressalta o trabalho de pesquisa para a construção de um Teatro Documentário, que tem a dramaturgia e a encenação baseadas em documentos reais e históricos. “É um teatro novo que a gente está começando ainda a descobrir e isso foi até uma provocação na criação, tentar entender o que é essa linguagem de maneira concreta. Levamos isso também para o espetáculo, mostrar para o público o que é o Teatro Documentário e como ele é feito”, explica.
Thaís Coimbra, protagonista da peça, escolheu Marilyn Monroe como objeto de criação do espetáculo por ser uma grande admiradora do trabalho da atriz desde criança. “Tenho colecionado, desde muito nova, diferentes materiais sobre a Marilyn. Com o passar do tempo, fui percebendo que a Marilyn das fotos e dos filmes era uma, mas havia outra mulher por trás de tudo aquilo que me instigava ainda mais. Foi assim que percebi que poderia encontrar uma narrativa interessante para uma peça. Mas a partir da Norma Jeane, e não somente a Marilyn”, conta.

Marilyn Monroe.doc começou a ganhar forma ainda em 2013, quando Thaís Coimbra iniciou suas pesquisas para a conclusão do curso de Artes Cênicas na Universidade Federal de Minas Gerais. A montagem estreou profissionalmente em 2014 e passou por diversos outros espaços em Belo Horizonte e integrou a programação do 24º Encontro de Artes Cênicas de Araxá. O espetáculo foi indicado às categorias de Melhor Espetáculo, Melhor Direção, Melhor Texto Inédito, Melhor Figurino e Melhor Atriz no 2° Prêmio COPASA/SINPARC, em 2015.

_ O GRUPO
O Grupo Dois Palitos foi criado por Thaís Coimbra e Ítalo Mendes com a montagem do espetáculo Marilyn Monroe.doc. O espetáculo Rapsódia Boêmia, uma pesquisa do ator Ítalo Mendes baseada nos textos de Jack Kerouac e Charles Bukowski e a cena curta “Todas Elas Musas” (cena participante do Festival de Cenas Curtas do Galpão Cine Horto em 2015) também fazem parte do repertório do grupo belo-horizontino, que conta com a colaboração de Fernanda Coimbra (Artes Visuais), Thiago Bernardo (Figurino), Luiz Henrique Marques (Audiovisual) e Amanda Coimbra (Design Gráfico).

_O DIRETOR
Juarez Guimarães Dias é professor do Curso de Comunicação Social da FAFICH/ UFMG, Escritor e Dramaturgo-Encenador Teatral. Doutor em Artes Cênicas (Unirio), Mestre em Literatura (PUC-Minas) e Bacharel em Comunicação Social - Publicidade e Propaganda (Uni-BH). Seus últimos espetáculos são a dramaturgia e direção de ""EuCaio"" (2014), solo de Matheus Soriedem, Cena I de ""Valsas - experimentos rodrigueanos"" (2014) solo de Laís Rivera, ""Marilyn Monroe.doc” (2013) com o grupo Dois Palitos, “#tudodenós” (2013) com o Pierrot Teen e em parceria com Léo Quintão da Cia. Pierrot Lunar, onde também dirigiu e escreveu ""Atrás dos olhos das meninas sérias"", ""Sexo"". Compôs a dramaturgia, por meio de adaptação, de “Acontecimento em Vila Feliz” de Aníbal Machado (Cia. Pierrot Lunar), ""Levantado do chão"" de José Saramago (direção de Cida Falabella) entre outros.

*Sinopse sob total responsabilidade da produção do evento.

Marilyn Monroe.doc (Teatro da Câmara)

Cine Theatro Brasil Vallourec

Centro - Belo Horizonte - MG

Espetáculo Marilyn Monroe.doc revela a mulher por trás do mito hollywoodiano
Com cinco indicações ao 2º Prêmio COPASA/SINPARC 2015, montagem tem formado diferenciado e discute a imposição de padrões estéticos às mulheres pela cultura de massas e a mídia
Marilyn Monroe.doc

Período: 2 a 5 de fevereiro
Horário: quinta, sexta e sábado, às 20h; domingo, às 19h
Local: Teatro de Câmara do Cine Theatro Brasil Valourec
Endereço: Praça Sete - Rua dos Carijós, 258, Centro

Desta vez, o espetáculo Marilyn Monroe.doc, do Grupo Dois Palitos, traz uma identidade visual completamente nova, inspirada no último ensaio profissional de Marilyn Monroe, feito pelo fotógrafo Bert Stern, e que ficou conhecido como The Last Sitting ou A Última Sessão. Muitos dos registros foram reprovados pela atriz, mas isso não impediu que as fotografias se tornassem históricas e reforçassem, ainda mais, a imagem do mito hollywoodiano que completou 90 anos de nascimento em 1º de junho deste ano.

Com dramaturgia e encenação de Juarez Guimarães, Thaís Coimbra no papel de Marilyn e Ítalo Mendes interpretando as diferentes pessoas que passaram pela vida da atriz, a peça em formato de Teatro Documentário, apresenta vários recursos imagéticos e bibliográficos, para narrar a trajetória de Norma Jeane Mortenson, uma jovem do interior dos Estados Unidos, gaga e desengonçada, que se transforma em uma das figuras mais cultuadas do século XX. Entre referências bibliográficas e teorias sobre os amores na vida de Marilyn, o espetáculo também discute a imposição de padrões estéticos às mulheres pela cultura de massas e pela mídia.
A negação de um mito – Em 1962, o renomado fotógrafo de moda e de publicidade Bert Stern se reuniu com Marilyn Monroe na suíte de um luxuoso hotel de Los Angeles para acertar detalhes sobre um novo ensaio. Em três sessões, foram tiradas mais de duas mil fotografias, revelando uma Marilyn sensual, despida, com pouca maquiagem e completamente entregue às lentes de Stern. Muitas das fotos de Bert Stern estão marcadas com um X feito de caneta vermelha. Essas marcas são da própria atriz, que assinalou os negativos das fotografias que ela rejeitou.
Seis semanas após esse ensaio, Marilyn faleceria. As imagens, embora mutiladas pela atriz, passaram a circular pelo mundo, reafirmando que o sex symbol permaneceria intacto na memória de todos. É a partir desse viés de construção e desconstrução de um mito do cinema que Marilyn Monroe.doc volta aos palcos de Belo Horizonte para contar a história por trás da mulher que se dividia entre o glamour das celebridades e as dores e angústias de uma pessoa que sofria de depressão e lutava contra o vício.

Teatro Documentário – A peça traz elementos de pesquisa como fotografias, vídeos e documentos que se unem à exposição em cena dos processos de montagem utilizados para a construção do espetáculo e da personagem para apresentar os principais acontecimentos da vida de Monroe, muitos deles desconhecidos e não divulgados pela grande imprensa. Dividindo o palco com a protagonista, Ítalo Mendes interpreta diversas personagens que estiveram presentes na vida de Norma Jeane/Marilyn, como uma das mães adotivas, o primeiro marido, um de seus coaches profissionais, produtores e também o galã Frank Sinatra. As biografias dos atores também compõem a dramaturgia, ressaltando o caráter humano do trabalho do intérprete.

O diretor Juarez Guimarães ressalta o trabalho de pesquisa para a construção de um Teatro Documentário, que tem a dramaturgia e a encenação baseadas em documentos reais e históricos. “É um teatro novo que a gente está começando ainda a descobrir e isso foi até uma provocação na criação, tentar entender o que é essa linguagem de maneira concreta. Levamos isso também para o espetáculo, mostrar para o público o que é o Teatro Documentário e como ele é feito”, explica.
Thaís Coimbra, protagonista da peça, escolheu Marilyn Monroe como objeto de criação do espetáculo por ser uma grande admiradora do trabalho da atriz desde criança. “Tenho colecionado, desde muito nova, diferentes materiais sobre a Marilyn. Com o passar do tempo, fui percebendo que a Marilyn das fotos e dos filmes era uma, mas havia outra mulher por trás de tudo aquilo que me instigava ainda mais. Foi assim que percebi que poderia encontrar uma narrativa interessante para uma peça. Mas a partir da Norma Jeane, e não somente a Marilyn”, conta.

Marilyn Monroe.doc começou a ganhar forma ainda em 2013, quando Thaís Coimbra iniciou suas pesquisas para a conclusão do curso de Artes Cênicas na Universidade Federal de Minas Gerais. A montagem estreou profissionalmente em 2014 e passou por diversos outros espaços em Belo Horizonte e integrou a programação do 24º Encontro de Artes Cênicas de Araxá. O espetáculo foi indicado às categorias de Melhor Espetáculo, Melhor Direção, Melhor Texto Inédito, Melhor Figurino e Melhor Atriz no 2° Prêmio COPASA/SINPARC, em 2015.

_ O GRUPO
O Grupo Dois Palitos foi criado por Thaís Coimbra e Ítalo Mendes com a montagem do espetáculo Marilyn Monroe.doc. O espetáculo Rapsódia Boêmia, uma pesquisa do ator Ítalo Mendes baseada nos textos de Jack Kerouac e Charles Bukowski e a cena curta “Todas Elas Musas” (cena participante do Festival de Cenas Curtas do Galpão Cine Horto em 2015) também fazem parte do repertório do grupo belo-horizontino, que conta com a colaboração de Fernanda Coimbra (Artes Visuais), Thiago Bernardo (Figurino), Luiz Henrique Marques (Audiovisual) e Amanda Coimbra (Design Gráfico).

_O DIRETOR
Juarez Guimarães Dias é professor do Curso de Comunicação Social da FAFICH/ UFMG, Escritor e Dramaturgo-Encenador Teatral. Doutor em Artes Cênicas (Unirio), Mestre em Literatura (PUC-Minas) e Bacharel em Comunicação Social - Publicidade e Propaganda (Uni-BH). Seus últimos espetáculos são a dramaturgia e direção de ""EuCaio"" (2014), solo de Matheus Soriedem, Cena I de ""Valsas - experimentos rodrigueanos"" (2014) solo de Laís Rivera, ""Marilyn Monroe.doc” (2013) com o grupo Dois Palitos, “#tudodenós” (2013) com o Pierrot Teen e em parceria com Léo Quintão da Cia. Pierrot Lunar, onde também dirigiu e escreveu ""Atrás dos olhos das meninas sérias"", ""Sexo"". Compôs a dramaturgia, por meio de adaptação, de “Acontecimento em Vila Feliz” de Aníbal Machado (Cia. Pierrot Lunar), ""Levantado do chão"" de José Saramago (direção de Cida Falabella) entre outros.