Newsletter Compreingressos

Seja o primeiro a conhecer nossa programação de espetáculos, novidades, promoções e ofertas exclusivas

seu estado

  • AC
  • AL
  • AP
  • AM
  • BA
  • CE
  • DF
  • ES
  • GO
  • MA
  • MT
  • MS
  • MG
  • PA
  • PB
  • PR
  • PE
  • PI
  • RJ
  • RN
  • RS
  • RO
  • RR
  • SC
  • SP
  • SE
  • TO
cadastrar
Cidade
Gênero
X
Show L

ISSO É JACK
Homenagem a Jackson do Pandeiro
Ceguêra de Nó

Endereço

Av. Sete de Setembro, 1537
Campo Grande - Salvador - BA

ver google maps

Temporada

Sexta e Sábado 20h30

24 a 25 de Agosto de 2018

Tickets

R$ 40.00 Couvert Artístico

Serviços de BAR:

A partir das 19h45.

(*) Como espectador do Café-Teatro Rubi, você pode desfrutar de preços especiais no jantar do Restaurante Passeio da Vitória no Wish /Hotel da Bahia - By GJP, e também taxa especial de hospedagem. Consulte a Bilheteria do Teatro.

Informações

PROIBIDA A ENTRADA APÓS O INÍCIO DO SHOW

Ceguêra de Nó -  "Jack é isso" 

O grupo baiano Ceguêra de Nó homenageia o cantor e compositor paraibano Jackson do Pandeiro com o show "Jack é isso" no Café-Teatro Rubi, Wish Hotel da Bahia, nos dias 24 e 25 de agosto às 20h30.

O Ceguêra, que é formado por Léo Marques (zabumba e vocais), Zé de Rocha (sanfona e voz), Ed Carlos (triângulo e vocais), Sebastian (pandeiro), Luis Oliveira (baixo) e Felipe Guedes (cavaquinho), apresenta, no repertório, um apanhado representativo e exclusivo de sambas que foram gravados pelo artista nordestino no decorrer de sua carreira. Para tanto, o grupo estabeleceu a mesma formação instrumental utilizada por Jackson entre as décadas de 1940 a 1980, ou seja: sanfona, zabumba, pandeiro, triângulo, cavaquinho e contrabaixo.

Sucessos como Sebastiana, Forró em Limoeiro, O Canto da Ema, 1X1, entre outros, fizeram Jackson ser reconhecido como um dos grandes intérpretes de forró, ao lado de Luiz Gonzaga. O artista também compôs e gravou muitos frevos e marchinhas carnavalescas. No entanto, pouco do seu repertório de sambas é conhecido do grande público.

O show possui um roteiro que passeia pelos sambas de Jackson ao mesmo tempo em que conta um pouco de sua história por meio de depoimentos do próprio artista. Entre as músicas escolhidas, garimpadas em antigos discos do “mestre do ritmo”, encontram-se muitas variantes de samba, como samba de raiz, de gafieira, samba-coco, “sambaião” e o samba de morro. Canções de autoria do próprio Jackson e de outros influentes músicos, como o baiano Riachão, de quem o artista paraibano foi o primeiro intérprete.

Em 31 de agosto de 2019 será o centenário de nascimento de Jackson do Pandeiro e o Ceguêra de Nó saí à frente desse ciclo de celebrações. Muito samba com sotaque nordestino, é o que promete o Ceguêra de Nó em um show autêntico e cheio de alegria.

Um pouco mais sobre o grupo
Formado em 2002 na cidade do Salvador, o Ceguêra de Nó se destaca pela autenticidade, pelas composições e a batida peculiar de sua zabumba. Jackson do Pandeiro é o guia sonoro do grupo. O “molho” do mestre Jackson direciona os arranjos do Ceguêra, sempre com muito ritmo, bom gosto e inventividade.

O som do Ceguêra pode ser apreciado no seu mais recente CD: “Bom Trabalho, Rapazes!”. Mostrando composições autorais, a musicalidade do grupo conta com participações de grandes instrumentistas baianos, dentre os quais Fred Dantas, Joatan Nascimento, Tito Bahiense, Fernando Nunes e Alexandre Vargas. Além do convidado especial, que canta na primeira faixa, o forrozeiro Flávio José.

*Sinopse sob total responsabilidade da produção do evento.

Show L

ISSO É JACK Homenagem a Jackson do Pandeiro Ceguêra de Nó

Café Teatro Rubi - Wish/ Hotel Da Bahia by GJP

Campo Grande - Salvador - BA

Ceguêra de Nó -  "Jack é isso" 

O grupo baiano Ceguêra de Nó homenageia o cantor e compositor paraibano Jackson do Pandeiro com o show "Jack é isso" no Café-Teatro Rubi, Wish Hotel da Bahia, nos dias 24 e 25 de agosto às 20h30.

O Ceguêra, que é formado por Léo Marques (zabumba e vocais), Zé de Rocha (sanfona e voz), Ed Carlos (triângulo e vocais), Sebastian (pandeiro), Luis Oliveira (baixo) e Felipe Guedes (cavaquinho), apresenta, no repertório, um apanhado representativo e exclusivo de sambas que foram gravados pelo artista nordestino no decorrer de sua carreira. Para tanto, o grupo estabeleceu a mesma formação instrumental utilizada por Jackson entre as décadas de 1940 a 1980, ou seja: sanfona, zabumba, pandeiro, triângulo, cavaquinho e contrabaixo.

Sucessos como Sebastiana, Forró em Limoeiro, O Canto da Ema, 1X1, entre outros, fizeram Jackson ser reconhecido como um dos grandes intérpretes de forró, ao lado de Luiz Gonzaga. O artista também compôs e gravou muitos frevos e marchinhas carnavalescas. No entanto, pouco do seu repertório de sambas é conhecido do grande público.

O show possui um roteiro que passeia pelos sambas de Jackson ao mesmo tempo em que conta um pouco de sua história por meio de depoimentos do próprio artista. Entre as músicas escolhidas, garimpadas em antigos discos do “mestre do ritmo”, encontram-se muitas variantes de samba, como samba de raiz, de gafieira, samba-coco, “sambaião” e o samba de morro. Canções de autoria do próprio Jackson e de outros influentes músicos, como o baiano Riachão, de quem o artista paraibano foi o primeiro intérprete.

Em 31 de agosto de 2019 será o centenário de nascimento de Jackson do Pandeiro e o Ceguêra de Nó saí à frente desse ciclo de celebrações. Muito samba com sotaque nordestino, é o que promete o Ceguêra de Nó em um show autêntico e cheio de alegria.

Um pouco mais sobre o grupo
Formado em 2002 na cidade do Salvador, o Ceguêra de Nó se destaca pela autenticidade, pelas composições e a batida peculiar de sua zabumba. Jackson do Pandeiro é o guia sonoro do grupo. O “molho” do mestre Jackson direciona os arranjos do Ceguêra, sempre com muito ritmo, bom gosto e inventividade.

O som do Ceguêra pode ser apreciado no seu mais recente CD: “Bom Trabalho, Rapazes!”. Mostrando composições autorais, a musicalidade do grupo conta com participações de grandes instrumentistas baianos, dentre os quais Fred Dantas, Joatan Nascimento, Tito Bahiense, Fernando Nunes e Alexandre Vargas. Além do convidado especial, que canta na primeira faixa, o forrozeiro Flávio José.