Newsletter Compreingressos

Seja o primeiro a conhecer nossa programação de espetáculos, novidades, promoções e ofertas exclusivas

seu estado

  • AC
  • AL
  • AP
  • AM
  • BA
  • CE
  • DF
  • ES
  • GO
  • MA
  • MT
  • MS
  • MG
  • PA
  • PB
  • PR
  • PE
  • PI
  • RJ
  • RN
  • RS
  • RO
  • RR
  • SC
  • SP
  • SE
  • TO
cadastrar
Cidade
Gênero
X
Drama 18 80 min R$ 40,00 Inteira
R$ 20,00 Meia

Cerbera

Endereço

Praça Franklin Roosvelt, 158
Centro - São Paulo - SP

ver google maps

Compre pelo telefone de segunda a sábado das 11h às 19h

(11) 2122-4001

Temporada

Quintas e Sextas às 21h

14 de Setembro a 27 de Outubro de 2017

Ingressos

R$ 40,00 Inteira
R$ 20,00 Meia

Descontos

50% para pessoas de idade igual ou superior a 60 anos.
50% para estudantes.

Ficha Técnica

Elenco - Carol Rainatto, Rodrigo de Castro, Rodrigo Frampton, Victoria Blat e Ynara Marson

Texto - Carol Rainatto

Direção - Elias Andreato

Assistente de Direção - Carolina Rossi

Preparação Vocal - Camila Blat

Trilha sonora - Yan Montenegro

Cenário - Diogo Monteiro

Cenotécnico - Rafael Boese

Figurino - Ananda Sueyoshi

Design Gráfico - Lucas Sancho

Produção Executiva - Cecília Barçante

Assistentes de backstage - Homero Ligere e Mariana Spinola

Buraco da fechadura: esse é o ponto de partida e a sensação despertada nos expectadores. A narrativa é fragmentada em tempos, espaços e sensações que se interseccionam entre o presente, o futuro ou o passado. Muitas mortes aparecem no palco, sejam elas de gênero, sexo ou ideais.
Martin e Cecília estudam na mesma escola e são muito amigos. Para ele, Cecília é a resolução de todos seus problemas. Sua mãe é alcoólatra e vítima da violência de um padrasto incontrolável e sua professora de piano o abusa sexualmente.
Com esse contexto de pano de fundo, quando espelhado ao público, é explicitada uma crítica sobre a sociedade contemporânea, que esconde suas camadas de perversão em seus discursos libertários.
Uma classe média que não tem coragem em assumir suas doenças, entra em um jogo psicológico ofuscado pela sedução, e atinge um ápice de deformação, o que cria um limite entre a loucura e a morte.
Antecedida por “OITO BALAS” (2016) e “MEIA-NOITE, FELIZ NATAL” (2016), “CERBERA” chega para fechar a trilogia escrita por Carol Rainatto e concluir um vértice de raciocínio, que se complementa enquanto “realidade” e “crítica ficcional”.

*Sinopse sob total responsabilidade da produção do evento.

Drama 18 80 min

Cerbera

Espaço Parlapatões

Centro - São Paulo - SP

Buraco da fechadura: esse é o ponto de partida e a sensação despertada nos expectadores. A narrativa é fragmentada em tempos, espaços e sensações que se interseccionam entre o presente, o futuro ou o passado. Muitas mortes aparecem no palco, sejam elas de gênero, sexo ou ideais.
Martin e Cecília estudam na mesma escola e são muito amigos. Para ele, Cecília é a resolução de todos seus problemas. Sua mãe é alcoólatra e vítima da violência de um padrasto incontrolável e sua professora de piano o abusa sexualmente.
Com esse contexto de pano de fundo, quando espelhado ao público, é explicitada uma crítica sobre a sociedade contemporânea, que esconde suas camadas de perversão em seus discursos libertários.
Uma classe média que não tem coragem em assumir suas doenças, entra em um jogo psicológico ofuscado pela sedução, e atinge um ápice de deformação, o que cria um limite entre a loucura e a morte.
Antecedida por “OITO BALAS” (2016) e “MEIA-NOITE, FELIZ NATAL” (2016), “CERBERA” chega para fechar a trilogia escrita por Carol Rainatto e concluir um vértice de raciocínio, que se complementa enquanto “realidade” e “crítica ficcional”.