Newsletter Compreingressos

Seja o primeiro a conhecer nossa programação de espetáculos, novidades, promoções e ofertas exclusivas

seu estado

  • AC
  • AL
  • AP
  • AM
  • BA
  • CE
  • DF
  • ES
  • GO
  • MA
  • MT
  • MS
  • MG
  • PR
  • PB
  • PR
  • PE
  • PI
  • RJ
  • RN
  • RS
  • RO
  • RR
  • SC
  • SP
  • SE
  • TO
cadastrar
Cidade
Gênero
X
Comédia 12 70 min R$ 20,00 a R$ 40,00

A Produtora e a Gaivota

Endereço

Rua Joana Angélica, 63
Ipanema - Rio de Janeiro - RJ

ver google maps

Compre pelo telefone de segunda a sábado das 11h às 19h

(21) 3005-2701

Temporada

Terça, Quarta e Quinta 20h

04 de Julho a 31 de Agosto de 2017

Ingressos

R$ 20,00 a R$ 40,00

Descontos

50% para pessoas de idade igual ou superior a 60 anos.
50% para estudantes.

Ficha Técnica

Elenco - Jefferson Schroeder
Texto - Jefferson Schroeder
Direção - João Fonseca
Cenário - Daniel de Jesus
Figurino - Carol Lobato
Luz - Ana Luzia de Simoni e João Gioia
Programação Visual - Daniel de Jesus
Produção - Luis Antônio Fortes
Fotos: Thiago De Lucena

Valores

R$ 40,00 inteira
R$ 20,00 meia

Jefferson Schroeder reestreia monólogo “A Produtora e A Gaivota” no Teatro Cândido Mendes

Texto da peça inspirado em “A Gaivota”, de Anton Tchekhov, uma das obras literárias mais importantes da dramaturgia universal

Inédito no Brasil, o monólogo “A Produtora e A Gaivota”, uma comédia escrita por Jefferson Schroeder, reestreia dia 04 de Julho, no Teatro Cândido Mendes, em Ipanema.

Após uma temporada marcada por sucesso de público no Sérgio Porto, no Humaitá, o ator Jefferson Schroeder se prepara para reestreia com algumas mudanças no roteiro do monólogo e cenário. “Estou ansioso por isso, para me adaptar a um novo espaço. Mas desde antes da estreia no Sérgio Porto já pensávamos em uma possível temporada no Cândido Mendes. Estamos preparados para isso. O Teatro Candido Mendes é berço de muitas comédias de sucesso. Vamos chegar lá com a nossa arte. Espero que todos que tentaram ver no Teatro Sérgio Porto e não conseguiram, nos prestigiem no Cândido Mendes. E os que viram a peça, indiquem e voltem, para estarmos juntos em um novo espaço, com a peça modificada e renovada”, destaca o ator.

João Fonseca, renomado diretor com inúmeros trabalho de grande sucesso de público é o responsável pela direção do espetáculo. Na carreira de João trabalhos como a comédia “Minha Mãe é uma Peça”, o musical “Tim Maia”, “Cazuza”, “O Grande Circo Místico”, “Édipo” e “Desesperados”. Esse será o segundo monólogo dirigido por ele, após o grande sucesso do espetáculo “Minha Mãe é Uma Peça”.

Na peça formada por quatro atos, texto de Jefferson Schroeder, o autor e ator interpreta Meire Sabatine, uma produtora de teatro picareta e divertidíssima que conta sozinha a história de “A Gaivota”, de Anton Tchekhov, fazendo todos os personagens.

Durante a peça o público vai descobrindo que a produtora Meire, que não gosta de teatro, é “contaminada” e muda de opinião sobre a arte, por conta do desenrolar da história de Tchekhov, conseguindo com isso resolver problemas pessoais com a filha.

O objetivo do monólogo é passar para o público, de forma humorada e criativa, a essência da obra “A Gaivota”, destacando a importância da arte e da cultura para uma sociedade que necessita de desenvolvimento.

“Espero que as pessoas se divirtam, riam, enquanto pensam naturalmente sobre a importância, aparentemente subjetiva, da arte, do teatro. Que pensem nos sonhos seguidos e nos deixados para trás, no poder evolutivo do amor infinito pelos filhos, pais, trabalho, e no quanto somos felizes quando podemos voar nossas gaivotas”, destaca o ator e autor Jefferson Schroeder.

*Sinopse sob total responsabilidade da produção do evento.

Comédia 12 70 min

A Produtora e a Gaivota

Teatro Candido Mendes

Ipanema - Rio de Janeiro - RJ

Jefferson Schroeder reestreia monólogo “A Produtora e A Gaivota” no Teatro Cândido Mendes

Texto da peça inspirado em “A Gaivota”, de Anton Tchekhov, uma das obras literárias mais importantes da dramaturgia universal

Inédito no Brasil, o monólogo “A Produtora e A Gaivota”, uma comédia escrita por Jefferson Schroeder, reestreia dia 04 de Julho, no Teatro Cândido Mendes, em Ipanema.

Após uma temporada marcada por sucesso de público no Sérgio Porto, no Humaitá, o ator Jefferson Schroeder se prepara para reestreia com algumas mudanças no roteiro do monólogo e cenário. “Estou ansioso por isso, para me adaptar a um novo espaço. Mas desde antes da estreia no Sérgio Porto já pensávamos em uma possível temporada no Cândido Mendes. Estamos preparados para isso. O Teatro Candido Mendes é berço de muitas comédias de sucesso. Vamos chegar lá com a nossa arte. Espero que todos que tentaram ver no Teatro Sérgio Porto e não conseguiram, nos prestigiem no Cândido Mendes. E os que viram a peça, indiquem e voltem, para estarmos juntos em um novo espaço, com a peça modificada e renovada”, destaca o ator.

João Fonseca, renomado diretor com inúmeros trabalho de grande sucesso de público é o responsável pela direção do espetáculo. Na carreira de João trabalhos como a comédia “Minha Mãe é uma Peça”, o musical “Tim Maia”, “Cazuza”, “O Grande Circo Místico”, “Édipo” e “Desesperados”. Esse será o segundo monólogo dirigido por ele, após o grande sucesso do espetáculo “Minha Mãe é Uma Peça”.

Na peça formada por quatro atos, texto de Jefferson Schroeder, o autor e ator interpreta Meire Sabatine, uma produtora de teatro picareta e divertidíssima que conta sozinha a história de “A Gaivota”, de Anton Tchekhov, fazendo todos os personagens.

Durante a peça o público vai descobrindo que a produtora Meire, que não gosta de teatro, é “contaminada” e muda de opinião sobre a arte, por conta do desenrolar da história de Tchekhov, conseguindo com isso resolver problemas pessoais com a filha.

O objetivo do monólogo é passar para o público, de forma humorada e criativa, a essência da obra “A Gaivota”, destacando a importância da arte e da cultura para uma sociedade que necessita de desenvolvimento.

“Espero que as pessoas se divirtam, riam, enquanto pensam naturalmente sobre a importância, aparentemente subjetiva, da arte, do teatro. Que pensem nos sonhos seguidos e nos deixados para trás, no poder evolutivo do amor infinito pelos filhos, pais, trabalho, e no quanto somos felizes quando podemos voar nossas gaivotas”, destaca o ator e autor Jefferson Schroeder.