Newsletter Compreingressos

Seja o primeiro a conhecer nossa programação de espetáculos, novidades, promoções e ofertas exclusivas

seu estado

  • AC
  • AL
  • AP
  • AM
  • BA
  • CE
  • DF
  • ES
  • GO
  • MA
  • MT
  • MS
  • MG
  • PR
  • PB
  • PR
  • PE
  • PI
  • RJ
  • RN
  • RS
  • RO
  • RR
  • SC
  • SP
  • SE
  • TO
cadastrar
Cidade
Gênero
X
Show L

Paula Morelenbaum,
Jaques Morelenbaum
e Cellosam3atrio
"90 Anos de Tom Jobim"

Endereço

Av. Sete de Setembro, 1537
Campo Grande - Salvador - BA

ver google maps

Compre pelo telefone de segunda a sábado das 11h às 19h

(71) 2626-0032

Temporada

Sexta e Sábado 20h30

11 a 12 de Agosto de 2017

Tickets

R$ 130,00 couvert artístico

Informações

PROIBIDA A ENTRADA DEPOIS DO INÍCIO DO SHOW.

Serviços

Serviço de BAR:

A partir das 19h45.

(*) Como espectador do Café-Teatro Rubi, você pode desfrutar de preços especiais no jantar do Restaurante Passeio da Vitória – Sheraton da Bahia e também taxa especial de hospedagem. Consulte a Bilheteria do Teatro.

Paula Morelenbaum, Jaques Morelenbaum e CelloSam3aTrio fazem show no Café-Teatro Rubi, Sheraton da Bahia, nos dias 11 e 12 de agosto, às 20h30, em homenagem ao compositor, arranjador, cantor e maestro Antônio Carlos Jobim pelos seus 90 anos. Idade que teria feito, em janeiro de 2017, se estivesse vivo.
O show é uma homenagem prestada por artistas que viveram ao lado dele, cantando, viajando e fazendo parte de suas apresentações, durante 10 anos, e contém as músicas mais significativas da obra de Tom, o nosso maestro maior.

Paula transita com autoridade pelo repertório do homenageado. A cantora gravou um disco de música brasileira sobre a obra do compositor, chamado Casa, já que foi gravado na casa do próprio Tom, ao lado de Jaques Morelenbaum e do músico japonês Ryuichi Sakamoto.

Com a obra de Antônio Carlos Jobim, a música brasileira experimentou uma projeção internacional inédita, rigorosamente sem precedentes e definitiva. Até o movimento da Bossa Nova, a presença brasileira, ainda que marcada pela excelência, como nas obras de Ary Barroso, Dorival Caymmi, Zequinha de Abreu, Waldir Azevedo, dentre outros, era eventual. Com Jobim, contudo, ela se torna permanente, estrutural e influencia toda a produção posterior.

“Cantar a obra de Tom Jobim é da maior importância cultural para o público e para o Brasil. É reverenciar um mestre que nos deu belíssimas canções, como Desafinado, Chega de Saudade, Garota de Ipanema (a segunda música mais tocada no mundo) e outras tantas que estarão no show”, observa Paula.

E ninguém mais apropriado e verdadeiro do que a própria Paula, ao lado de Jaques, para homenagear Tom. O show conta ainda com a participação de dois músicos de renome internacional, como Rafaela Barata, na bateria, músico requisitado por estrelas do jazz, e Lula Galvão, considerado um dos maiores violonistas brasileiros, que formam, ao lado de Jaques, o CelloSam3aTrio.

*Sinopse sob total responsabilidade da produção do evento.

Show L

Paula Morelenbaum, Jaques Morelenbaum e Cellosam3atrio "90 Anos de Tom Jobim"

Café Teatro Rubi - Sheraton da Bahia Hotel

Campo Grande - Salvador - BA

Paula Morelenbaum, Jaques Morelenbaum e CelloSam3aTrio fazem show no Café-Teatro Rubi, Sheraton da Bahia, nos dias 11 e 12 de agosto, às 20h30, em homenagem ao compositor, arranjador, cantor e maestro Antônio Carlos Jobim pelos seus 90 anos. Idade que teria feito, em janeiro de 2017, se estivesse vivo.
O show é uma homenagem prestada por artistas que viveram ao lado dele, cantando, viajando e fazendo parte de suas apresentações, durante 10 anos, e contém as músicas mais significativas da obra de Tom, o nosso maestro maior.

Paula transita com autoridade pelo repertório do homenageado. A cantora gravou um disco de música brasileira sobre a obra do compositor, chamado Casa, já que foi gravado na casa do próprio Tom, ao lado de Jaques Morelenbaum e do músico japonês Ryuichi Sakamoto.

Com a obra de Antônio Carlos Jobim, a música brasileira experimentou uma projeção internacional inédita, rigorosamente sem precedentes e definitiva. Até o movimento da Bossa Nova, a presença brasileira, ainda que marcada pela excelência, como nas obras de Ary Barroso, Dorival Caymmi, Zequinha de Abreu, Waldir Azevedo, dentre outros, era eventual. Com Jobim, contudo, ela se torna permanente, estrutural e influencia toda a produção posterior.

“Cantar a obra de Tom Jobim é da maior importância cultural para o público e para o Brasil. É reverenciar um mestre que nos deu belíssimas canções, como Desafinado, Chega de Saudade, Garota de Ipanema (a segunda música mais tocada no mundo) e outras tantas que estarão no show”, observa Paula.

E ninguém mais apropriado e verdadeiro do que a própria Paula, ao lado de Jaques, para homenagear Tom. O show conta ainda com a participação de dois músicos de renome internacional, como Rafaela Barata, na bateria, músico requisitado por estrelas do jazz, e Lula Galvão, considerado um dos maiores violonistas brasileiros, que formam, ao lado de Jaques, o CelloSam3aTrio.