Newsletter Compreingressos

Seja o primeiro a conhecer nossa programação de espetáculos, novidades, promoções e ofertas exclusivas

seu estado

  • AC
  • AL
  • AP
  • AM
  • BA
  • CE
  • DF
  • ES
  • GO
  • MA
  • MT
  • MS
  • MG
  • PR
  • PB
  • PR
  • PE
  • PI
  • RJ
  • RN
  • RS
  • RO
  • RR
  • SC
  • SP
  • SE
  • TO
cadastrar
Cidade
Gênero
X
Drama 14 60 min Sinopse Fotos Vídeos R$ 25,00 a R$ 50,00
Sinopse Fotos Vídeos

Há Sempre Algo De Ausente Que Me Atormenta

Endereço

Av. Paulista, 509
Centro - São Paulo - SP

ver google maps

Compre pelo telefone de segunda a sábado das 11h às 19h

(11) 2122-4070

Temporada

Sextas e Sábados as 20h30

17 a 27 de Maio de 2017

Ingressos

R$ 25,00 a R$ 50,00

Promoção Itaucard

50% de desconto para clientes Itaucard.

Promoção pessoal e intransferível para o titular do cartão na compra de um ingresso inteiro. Válido somente para 1 apresentação do espetáculo, mediante pagamento com cartões participantes da promoção.

Descontos

50% para pessoas de idade igual ou superior a 60 anos.
50% para estudantes.

Ficha Técnica

Autor: Marcelo Novazzi
Elenco: Miriam Palma e Paula Ernandes
Direção: Miriam Palma

Valores

R$ 50,00 inteira
R$ 25,00 meia

Drama 14 60 min

Há Sempre Algo De Ausente Que Me Atormenta

Auditório da Livraria Martins Fontes

Centro - São Paulo - SP

A peça "Há sempre algo ausente que me atormenta " discorre sobre as reflexões e angústias da escultora francesa Camille Claudel, em 1932, num manicômio, na França, onde a artista está internada. A ação se passa a partir de carta que Camille recebe do amigo e incentivador Eugene Blot. A personagem começa a questionar sua vida, seu romance com Rodin e sua obra, e perceber quão entrelaçadas todas essas coisas estão. Mas, apesar da mágoa, existe ainda um lado ingênuo e romântico que faz com que ela, antagonicamente, nutra uma certa esperança de ter novamente uma vida normal, perto da família.

Pelo fato do texto apresentar esses dois lados da alma fragmentada da escultora, e também por conta da esquizofrenia da qual sofria, a personagem é interpretada por duas atrizes, que representam Camille em duas fases de sua vida no manicômio.

Esses dois “tempos” da personagem travam um diálogo/monólogo no espaço cênico dividido pelas atrizes num embate reflexivo em que a Camille madura interage como alter ego da outra. O título da peça se refere a uma frase que consta em carta escrita por ela ao escultor Auguste Rodin.

*Sinopse sob total responsabilidade da produção do evento.

Outros Espetáculos

"Francisco de Todos Nós" A vida de Francisco de Assis

Teatro Raposo Shopping - Sala Irene Ravache

São Paulo - SP

Drama

Próxima apresentação

Sábado

08 de Abril

A Casa de Bernarda Alba

Teatro UMC

São Paulo - SP

Drama

Próxima apresentação

Sexta

19 de Maio

Alma

Espaço Parlapatões

São Paulo - SP

Drama

BLINK

Teatro Cacilda Becker

São Paulo - SP

Drama

Próxima apresentação

Sexta

24 de Março

Bruta Flor

Viga Espaço Cênico

São Paulo - SP

Drama

Próxima apresentação

Quarta

29 de Março

Dois Perdidios Numa Noite Suja

Espaço Parlapatões

São Paulo - SP

Drama