Newsletter Compreingressos

Seja o primeiro a conhecer nossa programação de espetáculos, novidades, promoções e ofertas exclusivas

seu estado

  • AC
  • AL
  • AP
  • AM
  • BA
  • CE
  • DF
  • ES
  • GO
  • MA
  • MT
  • MS
  • MG
  • PA
  • PB
  • PR
  • PE
  • PI
  • RJ
  • RN
  • RS
  • RO
  • RR
  • SC
  • SP
  • SE
  • TO
cadastrar
Cidade
Gênero
X
Drama 16 60 min Inteira R$ 30,00 || Meia R$ 15,00

A Partida

Espaço O Poste

Boa Vista - Recife - PE

Endereço

R. da Aurora, 529
Boa Vista - Recife - PE

ver google maps

Compre pelo telefone de segunda a sábado das 11h às 19h

(81) 2626-2605

Temporada

Domingo 18h

22 de Janeiro de 2017

Ingressos

Inteira R$ 30,00 || Meia R$ 15,00

Descontos

50% para pessoas de idade igual ou superior a 60 anos.
50% para estudantes.
50% para professores.

Ficha Técnica

Texto, adaptação, maquiagem e atuação: Cláudia Soares
Direção e iluminação: Naná Sodré
Figurino: Agrinez Melo
Cenografia: Samuel Santos
Produção executiva: Cláudia Soares e Naná Sodré (O Poste Soluções Luminosas)

Baseado no conto “Cícera Condóia”, de Ronaldo Correia de Brito, o espetáculo revela a relação de D. Raimunda e sua filha Ciça, numa vila inóspita onde quase todos partiram fugindo da seca que permeava não só a região, mas também qualquer relação estabelecida. Acompanhando a partida das pessoas e reforçando suas memórias, D. Raimunda, entre delírios, certezas e tresvarios, conta suas lembranças de um passado verde, farto e com passagens que deixaram marcas e abandono. Fé e esperança eram o que fortalecia seu apego ao lugar que nasceu, onde viveu alegrias e tristezas e pôde entender que tudo tem seu tempo e que nas escolhas feitas sempre haverá consequências.

*Sinopse sob total responsabilidade da produção do evento.

Drama 16 60 min

A Partida

Espaço O Poste

Boa Vista - Recife - PE

Baseado no conto “Cícera Condóia”, de Ronaldo Correia de Brito, o espetáculo revela a relação de D. Raimunda e sua filha Ciça, numa vila inóspita onde quase todos partiram fugindo da seca que permeava não só a região, mas também qualquer relação estabelecida. Acompanhando a partida das pessoas e reforçando suas memórias, D. Raimunda, entre delírios, certezas e tresvarios, conta suas lembranças de um passado verde, farto e com passagens que deixaram marcas e abandono. Fé e esperança eram o que fortalecia seu apego ao lugar que nasceu, onde viveu alegrias e tristezas e pôde entender que tudo tem seu tempo e que nas escolhas feitas sempre haverá consequências.