Newsletter Compreingressos

Seja o primeiro a conhecer nossa programação de espetáculos, novidades, promoções e ofertas exclusivas

seu estado

  • AC
  • AL
  • AP
  • AM
  • BA
  • CE
  • DF
  • ES
  • GO
  • MA
  • MT
  • MS
  • MG
  • PR
  • PB
  • PR
  • PE
  • PI
  • RJ
  • RN
  • RS
  • RO
  • RR
  • SC
  • SP
  • SE
  • TO
cadastrar
Cidade
Gênero
X
Drama L 50 min Inteira R$ 20,00 || Meia R$ 10,00

Amor, Segundo as
Mulheres de Xangô

Teatro Hermilo Borba Filho

Recife Antigo - Recife - PE

Endereço

Av. Cais do Apolo, s/n
Recife Antigo - Recife - PE

ver google maps

Compre pelo telefone de segunda a sábado das 11h às 19h

(81) 2626-2605

Temporada

Sábado 20h e Domingo 18h

21 a 22 de Janeiro de 2017

Ingressos

Inteira R$ 20,00 || Meia R$ 10,00

Descontos

50% para pessoas de idade igual ou superior a 60 anos.
50% para estudantes.
50% para professores.

Ficha Técnica

Intérprete-criadora: Maria Paula Costa Rêgo
Direção: Eric Valença
Trilha sonora: Tarcísio Resende
Figurino: Gustavo Silvestre

Em comemoração aos 20 anos de história do Grupo Grial e partindo de um estudo chamado “Um Corpo Que Conta”, desdobramentos de uma caligrafia corporal com cerne nas tradições populares, esta peça coreográfica mergulha nas mitologias que habitam os rituais de herança africana, mais especificamente naquelas sobre o amor de Iansã, Oxum e Obá por Xangô, poesia afro-brasileira. Sem ser um espetáculo de demonstração ritualística, guarda elementos vindos diretamente dos seus lugares de origem, porque possuem uma inerente contemporaneidade.

*Sinopse sob total responsabilidade da produção do evento.

Drama L 50 min

Amor, Segundo as Mulheres de Xangô

Teatro Hermilo Borba Filho

Recife Antigo - Recife - PE

Em comemoração aos 20 anos de história do Grupo Grial e partindo de um estudo chamado “Um Corpo Que Conta”, desdobramentos de uma caligrafia corporal com cerne nas tradições populares, esta peça coreográfica mergulha nas mitologias que habitam os rituais de herança africana, mais especificamente naquelas sobre o amor de Iansã, Oxum e Obá por Xangô, poesia afro-brasileira. Sem ser um espetáculo de demonstração ritualística, guarda elementos vindos diretamente dos seus lugares de origem, porque possuem uma inerente contemporaneidade.