Newsletter Compreingressos

Seja o primeiro a conhecer nossa programação de espetáculos, novidades, promoções e ofertas exclusivas

seu estado

  • AC
  • AL
  • AP
  • AM
  • BA
  • CE
  • DF
  • ES
  • GO
  • MA
  • MT
  • MS
  • MG
  • PR
  • PB
  • PR
  • PE
  • PI
  • RJ
  • RN
  • RS
  • RO
  • RR
  • SC
  • SP
  • SE
  • TO
cadastrar
Cidade
Gênero
X
Comédia 14 R$ 30,00 a R$ 60,00

"Ela é o Cara"
com Vera Fisher

Endereço

Rua Helena Jacquey, 171
Rudge Ramos - São Bernardo do Campo - SP

ver google maps

Compre pelo telefone de segunda a sábado das 11h às 19h

(11) 2122-4070

Temporada

Sábado 21h | Domingo 19h

08 a 09 de Abril de 2017

Ingressos

R$ 30,00 a R$ 60,00

Promoção Itaucard

50% de desconto para clientes Itaucard.

Promoção pessoal e intransferível para o titular do cartão na compra de um ingresso inteiro. Válido somente para 1 apresentação do espetáculo, mediante pagamento com cartões participantes da promoção.

Descontos

50% para pessoas de idade igual ou superior a 60 anos.
50% para estudantes.

Ficha Técnica

Elenco: Vera Fischer e Edson Fieschi
Autores: Marcio Araújo e Andrea Batitucci
Direção: Ary Coslov
Cenário e Figurinos: Marcelo Marques
Iluminação: Anderson Peixoto
Diretor geral de produção: Luciano Borges
Realização: Borges & Fieschi Produções Culturais.

Valores

R$ 60,00 inteira
R$ 30,00 meia
R$ 30,00 promocional de carnaval

Vera Fischer estreia comédia “Ela é o Cara!”

Espetáculo faz uma reflexão bem humorada sobre os males modernos da humanidade


A atriz Vera Fischer volta aos palcos em 2017 com a comédia “Ela é o Cara!”, escrita especialmente para ela por Márcio Araújo e Andrea Batitucci. Com direção de Ary Coslov.

A peça conta a história de Gilberto Fonseca, personagem do ator Edson Fieschi, um terapeuta de competência e caráter duvidosos. Após um incidente com um paciente famoso, ele se vê obrigado a administrar a repercussão negativa do caso, o assédio da imprensa e a fúria dos fãs do seu paciente, que o culpam pelo ocorrido e estão ávidos por vingança. Sem saída e com a sua carreira fadada ao fracasso, Gilberto cogita vender sua alma ao Diabo. Neste exato momento, surge em seu consultório Vera Fischer, que insiste em ser atendida.

Sofrendo um transtorno de personalidade, a famosa atriz insiste em dizer que não é Vera Fischer. Diante da gravidade do quadro, Gilberto aceita atendê-la em troca de publicidade, na esperança de retomar sua carreira. Gilberto passa a viver um novo conflito: quem será a solução para os seus problemas? O Diabo ou Vera Fischer?

A autora Andrea Batitucci é uma das escritoras de “Vai que Cola”, um dos programas de maior sucesso da TV paga do país. Instigada a investigar o que as pessoas são capazes de fazer para alcançar seus desejos, se inspirou para escrever a peça “Ela é o Cara!” com parceria de Márcio Araújo, por considerar o tema um dos males modernos da humanidade.

O diretor Ary Coslov tem em seu currículo a direção de mais de 25 espetáculos teatrais e mais de 40 obras televisivas, entre novelas, seriados, séries e programa humorístico. “A peça é uma crítica à atitude das pessoas que querem fama a qualquer preço. Muitas pessoas são capazes de se submeter a tudo por quinze minutos de fama”, observa o diretor.

O espetáculo, que é uma obra de ficção, tem algumas informações biográficas de Vera Fischer. “Achei a Vera Fischer muito corajosa ao fazer esta peça. O conteúdo do espetáculo não tem nada demais. Mas ela aceitou esta exposição”, comenta o diretor. “A peça tem somente duas personagens. Uma quer ser famosa, a outra se apresenta como Vera Fischer”.
SOBRE OS AUTORES
Andrea Batitucci é designer, autora e roteirista. Carioca, atuou durante 18 anos no mercado de comunicação, sempre com ênfase em cultura. Escreveu "Ela é o Cara!" - seu espetáculo de estreia como autora - em parceria com Márcio Araújo. Formada em Desenho Industrial, migrou definitivamente para a dramaturgia em 2014. Escreveu RIO2066 em parceria com Gustavo Bicalho, da Artesanal Cia. de Teatro. Atualmente é roteirista da quarta temporada de Vai Que Cola, série de humor do canal Multishow.
Márcio Araújo é escritor, dramaturgo, poeta, roteirista e designer gráfico. Formado em Arquitetura e Urbanismo, é pós-graduado em Comunicação e Imagem e em Formação do Escritor pela PUC-Rio. Em 2004 escreveu seu primeiro texto teatral e desde então se dedica a textos teatrais e roteiros para a TV. Em 2016 escreveu “Ela é o Cara!” em parceria com a amiga Andrea Batitucci. Estreia como poeta e contista no livro “DESpedaços”, publicado pela editora Oito e Meio, com mais vinte e um autores. Atualmente prepara seu primeiro seriado para TV e seu primeiro romance.
SOBRE O DIRETOR
Ary Coslov nasceu no Rio de Janeiro e começou sua carreira profissional como ator em 1963 com a peça “Aonde vais, Isabel?” de Maria Inês de Almeida, no Teatro Jovem. Até 1980, participou de mais de 20 peças. Depois de 30 anos, voltou ao teatro como ator em 2010 com a peça “Produto”, de Mark Ravenhill.
Como diretor, estreou em 1977 com “Palácio do Tango” , de M. Irene Fornès e até hoje dirigiu mais de 25 peças, sendo que as últimas, em 2016, foram “Entre Corvos”, espetáculo sobre Antonin Artaud, “O Amor Perdoa Tudo”, de Fabricio Carpinejar e Claudia Tajes, e “Ela é o Cara!”. Com “Traição” de Harold Pinter, recebeu os prêmios Shell e APTR (Associação dos Produtores de Teatro do Rio de Janeiro) como melhor diretor de teatro de 2008.
Atuou na televisão como ator em diversos programas e novelas desde 1963 e como diretor a partir de 1979, tendo dirigido até hoje mais de 50 produções, entre novelas, seriados, minisséries e musicais. Seus trabalhos mais recentes na TV Globo foram na direção das novelas “Ti Ti Ti”(2010-11), “Fina Estampa” (2011-2012) e “Guerra dos Sexos” (2012-2013).
SOBRE O ELENCO
Vera Fischer começou no cinema no início dos anos 70, mas foi na televisão onde mais se destacou. Estreou na TV Globo em 1977 com a novela “Espelho Mágico”. Também atuou nas novelas “Coração Alado”, “Brilhante”, “Mandala”, “O Rei do Gado”, “Pátria Minha”, “Salve Jorge”, entre outras.
No teatro atuou “Negócios de Estado”, de Louis Verneuil, direção de Flávio Rangel; “Macbeth”, de William Shakespeare, direção de Ulysses Cruz; “Desejo”, Eugene O'Neill, direção de Ulysses Cruz; “Gata em Teto de Zinco Quente”, de Tennessee Williams, direção de Moacyr Góes; “A Primeira Noite de um Homem”, de Charles Webb, direção de Miguel Falabella; “Porcelana Fina”, de Georges Feydeau, direção de Antônio Pedro Borges; e “Relações Aparentes”, de Alan Ayckbourn, direção de Ary Coslov.
Edson Fieschi tem 32 anos de carreira e mais de 30 peças no currículo. Seus trabalhos mais recentes são as peças “A Garota de Deus”, de Neil Simon, direção de Elias Andreato; “Estranho Casal”, de Neil Simon, direção de Celso Nunes e “1/4 de Amor”, direção de Leonardo Roat.
Estreou na televisão em 1998 na novela “Vale Tudo”, de Gilberto Braga. Também atuou nas novelas “Tieta”, “Meu Bem Meu Mal”, “Cobras & Lagartos” e “Insensato Coração”.

*Sinopse sob total responsabilidade da produção do evento.

"Ela é o Cara" com Vera Fisher

Teatro Lauro Gomes

Rudge Ramos - São Bernardo do Campo - SP

Vera Fischer estreia comédia “Ela é o Cara!”

Espetáculo faz uma reflexão bem humorada sobre os males modernos da humanidade


A atriz Vera Fischer volta aos palcos em 2017 com a comédia “Ela é o Cara!”, escrita especialmente para ela por Márcio Araújo e Andrea Batitucci. Com direção de Ary Coslov.

A peça conta a história de Gilberto Fonseca, personagem do ator Edson Fieschi, um terapeuta de competência e caráter duvidosos. Após um incidente com um paciente famoso, ele se vê obrigado a administrar a repercussão negativa do caso, o assédio da imprensa e a fúria dos fãs do seu paciente, que o culpam pelo ocorrido e estão ávidos por vingança. Sem saída e com a sua carreira fadada ao fracasso, Gilberto cogita vender sua alma ao Diabo. Neste exato momento, surge em seu consultório Vera Fischer, que insiste em ser atendida.

Sofrendo um transtorno de personalidade, a famosa atriz insiste em dizer que não é Vera Fischer. Diante da gravidade do quadro, Gilberto aceita atendê-la em troca de publicidade, na esperança de retomar sua carreira. Gilberto passa a viver um novo conflito: quem será a solução para os seus problemas? O Diabo ou Vera Fischer?

A autora Andrea Batitucci é uma das escritoras de “Vai que Cola”, um dos programas de maior sucesso da TV paga do país. Instigada a investigar o que as pessoas são capazes de fazer para alcançar seus desejos, se inspirou para escrever a peça “Ela é o Cara!” com parceria de Márcio Araújo, por considerar o tema um dos males modernos da humanidade.

O diretor Ary Coslov tem em seu currículo a direção de mais de 25 espetáculos teatrais e mais de 40 obras televisivas, entre novelas, seriados, séries e programa humorístico. “A peça é uma crítica à atitude das pessoas que querem fama a qualquer preço. Muitas pessoas são capazes de se submeter a tudo por quinze minutos de fama”, observa o diretor.

O espetáculo, que é uma obra de ficção, tem algumas informações biográficas de Vera Fischer. “Achei a Vera Fischer muito corajosa ao fazer esta peça. O conteúdo do espetáculo não tem nada demais. Mas ela aceitou esta exposição”, comenta o diretor. “A peça tem somente duas personagens. Uma quer ser famosa, a outra se apresenta como Vera Fischer”.
SOBRE OS AUTORES
Andrea Batitucci é designer, autora e roteirista. Carioca, atuou durante 18 anos no mercado de comunicação, sempre com ênfase em cultura. Escreveu "Ela é o Cara!" - seu espetáculo de estreia como autora - em parceria com Márcio Araújo. Formada em Desenho Industrial, migrou definitivamente para a dramaturgia em 2014. Escreveu RIO2066 em parceria com Gustavo Bicalho, da Artesanal Cia. de Teatro. Atualmente é roteirista da quarta temporada de Vai Que Cola, série de humor do canal Multishow.
Márcio Araújo é escritor, dramaturgo, poeta, roteirista e designer gráfico. Formado em Arquitetura e Urbanismo, é pós-graduado em Comunicação e Imagem e em Formação do Escritor pela PUC-Rio. Em 2004 escreveu seu primeiro texto teatral e desde então se dedica a textos teatrais e roteiros para a TV. Em 2016 escreveu “Ela é o Cara!” em parceria com a amiga Andrea Batitucci. Estreia como poeta e contista no livro “DESpedaços”, publicado pela editora Oito e Meio, com mais vinte e um autores. Atualmente prepara seu primeiro seriado para TV e seu primeiro romance.
SOBRE O DIRETOR
Ary Coslov nasceu no Rio de Janeiro e começou sua carreira profissional como ator em 1963 com a peça “Aonde vais, Isabel?” de Maria Inês de Almeida, no Teatro Jovem. Até 1980, participou de mais de 20 peças. Depois de 30 anos, voltou ao teatro como ator em 2010 com a peça “Produto”, de Mark Ravenhill.
Como diretor, estreou em 1977 com “Palácio do Tango” , de M. Irene Fornès e até hoje dirigiu mais de 25 peças, sendo que as últimas, em 2016, foram “Entre Corvos”, espetáculo sobre Antonin Artaud, “O Amor Perdoa Tudo”, de Fabricio Carpinejar e Claudia Tajes, e “Ela é o Cara!”. Com “Traição” de Harold Pinter, recebeu os prêmios Shell e APTR (Associação dos Produtores de Teatro do Rio de Janeiro) como melhor diretor de teatro de 2008.
Atuou na televisão como ator em diversos programas e novelas desde 1963 e como diretor a partir de 1979, tendo dirigido até hoje mais de 50 produções, entre novelas, seriados, minisséries e musicais. Seus trabalhos mais recentes na TV Globo foram na direção das novelas “Ti Ti Ti”(2010-11), “Fina Estampa” (2011-2012) e “Guerra dos Sexos” (2012-2013).
SOBRE O ELENCO
Vera Fischer começou no cinema no início dos anos 70, mas foi na televisão onde mais se destacou. Estreou na TV Globo em 1977 com a novela “Espelho Mágico”. Também atuou nas novelas “Coração Alado”, “Brilhante”, “Mandala”, “O Rei do Gado”, “Pátria Minha”, “Salve Jorge”, entre outras.
No teatro atuou “Negócios de Estado”, de Louis Verneuil, direção de Flávio Rangel; “Macbeth”, de William Shakespeare, direção de Ulysses Cruz; “Desejo”, Eugene O'Neill, direção de Ulysses Cruz; “Gata em Teto de Zinco Quente”, de Tennessee Williams, direção de Moacyr Góes; “A Primeira Noite de um Homem”, de Charles Webb, direção de Miguel Falabella; “Porcelana Fina”, de Georges Feydeau, direção de Antônio Pedro Borges; e “Relações Aparentes”, de Alan Ayckbourn, direção de Ary Coslov.
Edson Fieschi tem 32 anos de carreira e mais de 30 peças no currículo. Seus trabalhos mais recentes são as peças “A Garota de Deus”, de Neil Simon, direção de Elias Andreato; “Estranho Casal”, de Neil Simon, direção de Celso Nunes e “1/4 de Amor”, direção de Leonardo Roat.
Estreou na televisão em 1998 na novela “Vale Tudo”, de Gilberto Braga. Também atuou nas novelas “Tieta”, “Meu Bem Meu Mal”, “Cobras & Lagartos” e “Insensato Coração”.