Newsletter Compreingressos

Seja o primeiro a conhecer nossa programação de espetáculos, novidades, promoções e ofertas exclusivas

seu estado

  • AC
  • AL
  • AP
  • AM
  • BA
  • CE
  • DF
  • ES
  • GO
  • MA
  • MT
  • MS
  • MG
  • PA
  • PB
  • PR
  • PE
  • PI
  • RJ
  • RN
  • RS
  • RO
  • RR
  • SC
  • SP
  • SE
  • TO
cadastrar
Cidade
Gênero
X
Comédia Musical 10 100 min R$ 25,00 a R$ 90,00

FOREVER YOUNG

Teatro Raul Cortez

Bela Vista - São Paulo - SP

Endereço

R. Dr. Plínio Barreto, 285
Bela Vista - São Paulo - SP

ver google maps

Compre pelo telefone de segunda a sábado das 11h às 19h

(11) 2626-5282

Temporada

Sexta 21h30 | Sábado 21h | Domingo 15h e 18h

05 de Maio a 02 de Julho de 2017

Ingressos

R$ 25,00 a R$ 90,00

Promoção Itaucard

50% de desconto para clientes Itaucard.

Promoção pessoal e intransferível para o titular do cartão na compra de um ingresso inteiro. Válido somente para 1 apresentação do espetáculo, mediante pagamento com cartões participantes da promoção.

Descontos

50% para pessoas de idade igual ou superior a 60 anos.
50% para estudantes.

Sexta

R$ 80,0 inteira
R$ 40,00 meia

Sábado

R$ 90,00 inteira
R$ 45,00 meia

Domingo 15h

R$ 50,00 inteira
R$ 25,00 meia

Domingo 18h

R$ 80,00 inteira
R$ 40,00 meia

Ficha Técnica

Autor: Erik Gedeon
Direção Geral: Jarbas Homem de Mello
Supervisão Artística/tradução/adaptação: Henrique Benjamin
Direção Musical e canções adicionais: Miguel Briamonte
Elenco: Vanessa Gerbelli, Carmo Dalla Vecchia, Fred Silveira,
Drayson Menezzes, Paula Capovilla e Marya Bravo
Piano: Miguel Briamonte
Stand In: Naíma
Supervisão Cenográfica: Luís Rossi
Produtora de Objetos: Rosa Berger
Figurino: Paulette Pink
Visagismo: Hugo Daniel
Preparação corporal: Renata Mello
Designer de Luz: Fran Barros
Designer de Som: Rafael Caetano
Assessoria de Imprensa: Morente Forte
Produção Geral: Henrique Benjamin e Sandro Chaim
Lei de Incentivo à Cultura Proac
Realização: Tricicle, Coisas Nossas Produções, Benjamin Produções, Chaim XYZ Produções,Governo de São Paulo, Secretaria da Cultura e Ministério da Cultura, Governo Federal

Vanessa Gerbelli, Carmo Dalla Vecchia, Fred Silveira,
Drayson Menezzes, Paula Capovilla e Marya Bravo

em
Forever Young

De Erik Gedeon
Direção Geral Jarbas Homem de Mello
Supervisão Artística/tradução/adaptação Henrique Benjamin
Direção Musical, canções adicionais e Piano ao vivo: Miguel Briamonte

Reestreia dia 05 de Maio no Teatro Raul Cortez

Com grande sucesso de público, temporadas em São Paulo, Rio de Janeiro e mais oito capitais, aclamado espetáculo do suíço Erik Gedeon retorna ao teatro onde estreou, em curta temporada, com grandes hits mundiais da música pop e rock’n’roll

De forma bonita, poética e bem-humorada, o musical Forever Young aborda seis grandes atores que representam a si mesmos no futuro, quase centenários. Apesar das dificuldades eles continuam cantando, se divertindo e amando. Tudo acontece no palco de um teatro, que foi transformado em retiro para artistas, sempre sob a supervisão de uma enfermeira. Quando ela se ausenta, os simpáticos senhores se transformam e revelam suas verdadeiras personalidades através do bom e velho rock’n’roll e mostram que o sonho ainda não acabou e que eles são eternamente jovens. A comédia musical consegue relatar não apenas o problema da exclusão social na “melhor idade”, mas também aborda questões sobre a velhice com muito humor e músicas que marcaram várias gerações.

Forever Young é uma grande homenagem a todos os artistas que trouxeram tanta magia para as pessoas. E, principalmente, passa a mensagem que ser jovem é algo eterno, que a vida não para, apenas muda-se a frequência das ações.

Os hits são sucessos do rock/pop mundial de diversos anos, passando pelas décadas de 50, 60, 70, 80 até chegar aos anos 90. Músicas que são verdadeiros hinos como "I Love Rock and Roll", "Smells Like a Teen Spirit", “I Wil Survive”, "I Got You Babe", “Roxanne”, “Rehab”, “Satisfaction”, “Sweet Dreams”, “Music”, “San Francisco”, “California Dreamin”, “Let It Be”, “Imagine”, e a emblemática "Forever Young". Já o repertório nacional conta com canções como “Eu nasci há 10 mil anos atrás” de Raul Seixas, “Do Leme ao Pontal” de Tim Maia e “Valsinha” de Chico Buarque.

PERSONAGENS
Os atores interpretarem a si mesmos, mas os personagens não são baseados em suas personalidades. O intuito foi justamente passar a ideia de que é tudo uma grande brincadeira.

Vanessa (Vanessa Gerbelli): Foi uma grande diva do teatro em sua juventude, é casada com Fred, sofre com o Alzheimer e é a mais meiga e terna
do retiro.

Carmo (Carmo Dalla Vecchia): Ex-ator, viúvo, solitário e romântico. Adora rock’n’roll é divertido e tem ótimo humor. Encontra no retiro parceiros que enfrentam as mesmas situações que ele.

Fred (Fred Silveira): Ex-mágico, equilibrista, performer, sapateador, o artista multifacetado é casado com Vanessa, que conheceu em uma fila durante uma audição. Mesmo depois de tantos anos juntos, ainda são apaixonados.

Tumura (Drayson Menezzes): Homem de poucas palavras e mal humorado, mas tem um ótimo coração. Além de hippie, foi ator e roqueiro.

Paula (Paula Capovilla): A atriz foi ativista na juventude é desbocada e foi adepta do lema “Sexo, Drogas e Rock’n’Roll”. Para ela, “bom dia” é um dos maiores palavrões que existem.

Enfermeira (Marya Bravo): Enfermeira que trabalha com os seus grandes ídolos, se diverte, canta para eles e tem grande zelo por todos. Mas às vezes, eles a tiram do sério.

Pianista (Miguel Briamonte): Pianista que reside no asilo. Contracena com os demais e reage ao que está acontecendo por olhares e gestos.

CENÁRIO E OBJETOS DE CENA
O musical se passa no palco de um teatro antigo, que se tornou um retiro de artistas, onde os personagens cantam, dançam e recordam suas lembranças com muito senso de humor. O cenário possui mais de 150 objetos, entre fixos e de uso dos atores. Cada personagem tem uma peculiaridade e os objetos os auxiliam a contar suas histórias.
A ambientação tem poltronas Bergere, do período de Luís XV. O assento tem forma de coração, ornamento em arabescos, estofamento baixo e espaldar não muito alto. O tecido que as envolve foram todos revestidos de material envelhecido, mas que mostra o clássico desta poltrona e seu peso na história.
As linhas curvas do aparador, luminárias, mesas de centro todas em estilo "art nouveau" remetem a móveis excêntricos e requintados que em 2050 (período em que se passa a trama) estão desgastados pelo tempo, assim como seus personagens. Os tecidos feitos a mão de crochet foram envelhecidos, tingidos e manuseados.
Também compõe o cenário objetos inusitados como uma guitarra Flying V,de 1958, conhecida pelo visual arrojado e som mais poderoso, usada por ícones como Jimmy Hendrix e que hoje é considerada uma raridade.
Em cena há também relógio de carrilhão, bengalas articuladas, luminárias de tulipa, vasos, urnas, flores desbotadas e licoreiras.
O musical vem com um tutorial de objetos de cena, mas houve uma licença poética para algumas alterações. Um painel de fundo no cenário inclui posters de peças de vários atores nacionais, como também do elenco do espetáculo. A ideia é prestar uma homenagem a todos que fizeram e fazem parte da história do teatro brasileiro.

VISAGISMO/CARACTERIZAÇÃO
Para que os personagens aparentem ter mais de 90 anos, o visagista Hugo Daniel usou maquiagem composta de látex, riscos, linhas e produtos especiais, que dão sensação de envelhecimento.

PREPARAÇÃO CORPORAL
Para não criar idosos estereotipados houve uma preparação individual com o elenco. Num trabalho conjunto com a preparadora corporal e coreógrafa Renata Melo, cada ator estudou suas possíveis limitações ao envelhecer e juntos detectaram como estariam aos 90 anos, quando as articulações ficam mais rígidas e com menos elasticidade. Sempre com a preocupação de não tirar o ritmo do espetáculo.

*Sinopse sob total responsabilidade da produção do evento.

Comédia Musical 10 100 min

FOREVER YOUNG

Teatro Raul Cortez

Bela Vista - São Paulo - SP

Vanessa Gerbelli, Carmo Dalla Vecchia, Fred Silveira,
Drayson Menezzes, Paula Capovilla e Marya Bravo

em
Forever Young

De Erik Gedeon
Direção Geral Jarbas Homem de Mello
Supervisão Artística/tradução/adaptação Henrique Benjamin
Direção Musical, canções adicionais e Piano ao vivo: Miguel Briamonte

Reestreia dia 05 de Maio no Teatro Raul Cortez

Com grande sucesso de público, temporadas em São Paulo, Rio de Janeiro e mais oito capitais, aclamado espetáculo do suíço Erik Gedeon retorna ao teatro onde estreou, em curta temporada, com grandes hits mundiais da música pop e rock’n’roll

De forma bonita, poética e bem-humorada, o musical Forever Young aborda seis grandes atores que representam a si mesmos no futuro, quase centenários. Apesar das dificuldades eles continuam cantando, se divertindo e amando. Tudo acontece no palco de um teatro, que foi transformado em retiro para artistas, sempre sob a supervisão de uma enfermeira. Quando ela se ausenta, os simpáticos senhores se transformam e revelam suas verdadeiras personalidades através do bom e velho rock’n’roll e mostram que o sonho ainda não acabou e que eles são eternamente jovens. A comédia musical consegue relatar não apenas o problema da exclusão social na “melhor idade”, mas também aborda questões sobre a velhice com muito humor e músicas que marcaram várias gerações.

Forever Young é uma grande homenagem a todos os artistas que trouxeram tanta magia para as pessoas. E, principalmente, passa a mensagem que ser jovem é algo eterno, que a vida não para, apenas muda-se a frequência das ações.

Os hits são sucessos do rock/pop mundial de diversos anos, passando pelas décadas de 50, 60, 70, 80 até chegar aos anos 90. Músicas que são verdadeiros hinos como "I Love Rock and Roll", "Smells Like a Teen Spirit", “I Wil Survive”, "I Got You Babe", “Roxanne”, “Rehab”, “Satisfaction”, “Sweet Dreams”, “Music”, “San Francisco”, “California Dreamin”, “Let It Be”, “Imagine”, e a emblemática "Forever Young". Já o repertório nacional conta com canções como “Eu nasci há 10 mil anos atrás” de Raul Seixas, “Do Leme ao Pontal” de Tim Maia e “Valsinha” de Chico Buarque.

PERSONAGENS
Os atores interpretarem a si mesmos, mas os personagens não são baseados em suas personalidades. O intuito foi justamente passar a ideia de que é tudo uma grande brincadeira.

Vanessa (Vanessa Gerbelli): Foi uma grande diva do teatro em sua juventude, é casada com Fred, sofre com o Alzheimer e é a mais meiga e terna
do retiro.

Carmo (Carmo Dalla Vecchia): Ex-ator, viúvo, solitário e romântico. Adora rock’n’roll é divertido e tem ótimo humor. Encontra no retiro parceiros que enfrentam as mesmas situações que ele.

Fred (Fred Silveira): Ex-mágico, equilibrista, performer, sapateador, o artista multifacetado é casado com Vanessa, que conheceu em uma fila durante uma audição. Mesmo depois de tantos anos juntos, ainda são apaixonados.

Tumura (Drayson Menezzes): Homem de poucas palavras e mal humorado, mas tem um ótimo coração. Além de hippie, foi ator e roqueiro.

Paula (Paula Capovilla): A atriz foi ativista na juventude é desbocada e foi adepta do lema “Sexo, Drogas e Rock’n’Roll”. Para ela, “bom dia” é um dos maiores palavrões que existem.

Enfermeira (Marya Bravo): Enfermeira que trabalha com os seus grandes ídolos, se diverte, canta para eles e tem grande zelo por todos. Mas às vezes, eles a tiram do sério.

Pianista (Miguel Briamonte): Pianista que reside no asilo. Contracena com os demais e reage ao que está acontecendo por olhares e gestos.

CENÁRIO E OBJETOS DE CENA
O musical se passa no palco de um teatro antigo, que se tornou um retiro de artistas, onde os personagens cantam, dançam e recordam suas lembranças com muito senso de humor. O cenário possui mais de 150 objetos, entre fixos e de uso dos atores. Cada personagem tem uma peculiaridade e os objetos os auxiliam a contar suas histórias.
A ambientação tem poltronas Bergere, do período de Luís XV. O assento tem forma de coração, ornamento em arabescos, estofamento baixo e espaldar não muito alto. O tecido que as envolve foram todos revestidos de material envelhecido, mas que mostra o clássico desta poltrona e seu peso na história.
As linhas curvas do aparador, luminárias, mesas de centro todas em estilo "art nouveau" remetem a móveis excêntricos e requintados que em 2050 (período em que se passa a trama) estão desgastados pelo tempo, assim como seus personagens. Os tecidos feitos a mão de crochet foram envelhecidos, tingidos e manuseados.
Também compõe o cenário objetos inusitados como uma guitarra Flying V,de 1958, conhecida pelo visual arrojado e som mais poderoso, usada por ícones como Jimmy Hendrix e que hoje é considerada uma raridade.
Em cena há também relógio de carrilhão, bengalas articuladas, luminárias de tulipa, vasos, urnas, flores desbotadas e licoreiras.
O musical vem com um tutorial de objetos de cena, mas houve uma licença poética para algumas alterações. Um painel de fundo no cenário inclui posters de peças de vários atores nacionais, como também do elenco do espetáculo. A ideia é prestar uma homenagem a todos que fizeram e fazem parte da história do teatro brasileiro.

VISAGISMO/CARACTERIZAÇÃO
Para que os personagens aparentem ter mais de 90 anos, o visagista Hugo Daniel usou maquiagem composta de látex, riscos, linhas e produtos especiais, que dão sensação de envelhecimento.

PREPARAÇÃO CORPORAL
Para não criar idosos estereotipados houve uma preparação individual com o elenco. Num trabalho conjunto com a preparadora corporal e coreógrafa Renata Melo, cada ator estudou suas possíveis limitações ao envelhecer e juntos detectaram como estariam aos 90 anos, quando as articulações ficam mais rígidas e com menos elasticidade. Sempre com a preocupação de não tirar o ritmo do espetáculo.