Newsletter Compreingressos

Seja o primeiro a conhecer nossa programação de espetáculos, novidades, promoções e ofertas exclusivas

seu estado

  • AC
  • AL
  • AP
  • AM
  • BA
  • CE
  • DF
  • ES
  • GO
  • MA
  • MT
  • MS
  • MG
  • PA
  • PB
  • PR
  • PE
  • PI
  • RJ
  • RN
  • RS
  • RO
  • RR
  • SC
  • SP
  • SE
  • TO
cadastrar
Cidade
Gênero
X
Show L 90 min R$ 50,00 á R$ 100,00

Camisa de Vênus toca Raul

Endereço

Alameda Conde de Porto Alegre, 840
Santa Maria - São Caetano do Sul - SP

ver google maps

Compre pelo telefone de segunda a sábado das 11h às 19h

(11) 2122-4070

Temporada

Sábado 20h

23 de Setembro de 2017

Ingressos

R$ 50,00 á R$ 100,00

Promoção Itaucard

50% de desconto para clientes Itaucard.

Promoção pessoal e intransferível para o titular do cartão na compra de um ingresso inteiro. Válido somente para 1 apresentação do espetáculo, mediante pagamento com cartões participantes da promoção.

Descontos

50% para pessoas de idade igual ou superior a 60 anos.
50% para estudantes.

Vendas

R$ 100,00 Inteira
R$ 50,00 Meia

"A primeira vez que vi Raul Seixas foi em Salvador, no início dos anos
1960, no Instituto Baiano de Reabilitação, entidade idealizada e dirigida
pelo Dr. Fernando Nova, meu pai, que no final de cada ano promovia
uma festinha para crianças portadoras de poliomielite.
Lembro que numa delas, entre apresentações de palhaços e mágicos,
repentinamente surgiram dois adolescentes. O primeiro trazia uma
vitrola portátil numa das mãos e ainda empurrava um carrinho de bebê,
no qual estava o outro garoto vestido de nenê, com mamadeira, chupeta
e demais acessórios. O que estava em pé liga a vitrola, põe o disco "O
Boogie do Bebê" e começa a fazer uma dublagem embalada por passos
de rock n' roll e requebros elvinianos.
Houve subitamente um breque musical e o "bebê" se ergue no carrinho,
joga a chupeta no chão e balbucia qualquer coisa. O outro dá-lhe uma
bofetada e segue dançando para a gargalhada geral de quem, assim
como eu, assistia atentamente à performance. O que estava vestido de
bebê chamava-se Waldir Serrão. O frenético dançarino de topete
atendia pelo nome de Raul Seixas.
O que não poderia imaginar era que, 25 anos depois, eu e o frenético
dançarino de topete estaríamos lado a lado dividindo um álbum (A
Panela do Diabo) e uma alucinada e alucinante tour de 50 shows.
Hoje, meio século depois do início de tudo, durante a sequência de
eventos que marcou a volta do Camisa de Vênus, me flagrei tocando
'Aluga-se', 'Rock das Aranha' e 'Pastor João e a Igreja Invisível', que
fizemos em parceria. Pensei, então, em uma tour onde pudesse
apresentar várias canções de Raul. Não só as que fizemos, mas também
clássicos da sua carreira que tocamos várias vezes juntos como 'Cowboy
Fora da Lei', 'Metamorfose Ambulante', 'Al Capone', 'Sociedade
Alternativa', entre tantas outras.

*Sinopse sob total responsabilidade da produção do evento.

Show L 90 min

Camisa de Vênus toca Raul

Teatro Paulo Machado de Carvalho

Santa Maria - São Caetano do Sul - SP

"A primeira vez que vi Raul Seixas foi em Salvador, no início dos anos
1960, no Instituto Baiano de Reabilitação, entidade idealizada e dirigida
pelo Dr. Fernando Nova, meu pai, que no final de cada ano promovia
uma festinha para crianças portadoras de poliomielite.
Lembro que numa delas, entre apresentações de palhaços e mágicos,
repentinamente surgiram dois adolescentes. O primeiro trazia uma
vitrola portátil numa das mãos e ainda empurrava um carrinho de bebê,
no qual estava o outro garoto vestido de nenê, com mamadeira, chupeta
e demais acessórios. O que estava em pé liga a vitrola, põe o disco "O
Boogie do Bebê" e começa a fazer uma dublagem embalada por passos
de rock n' roll e requebros elvinianos.
Houve subitamente um breque musical e o "bebê" se ergue no carrinho,
joga a chupeta no chão e balbucia qualquer coisa. O outro dá-lhe uma
bofetada e segue dançando para a gargalhada geral de quem, assim
como eu, assistia atentamente à performance. O que estava vestido de
bebê chamava-se Waldir Serrão. O frenético dançarino de topete
atendia pelo nome de Raul Seixas.
O que não poderia imaginar era que, 25 anos depois, eu e o frenético
dançarino de topete estaríamos lado a lado dividindo um álbum (A
Panela do Diabo) e uma alucinada e alucinante tour de 50 shows.
Hoje, meio século depois do início de tudo, durante a sequência de
eventos que marcou a volta do Camisa de Vênus, me flagrei tocando
'Aluga-se', 'Rock das Aranha' e 'Pastor João e a Igreja Invisível', que
fizemos em parceria. Pensei, então, em uma tour onde pudesse
apresentar várias canções de Raul. Não só as que fizemos, mas também
clássicos da sua carreira que tocamos várias vezes juntos como 'Cowboy
Fora da Lei', 'Metamorfose Ambulante', 'Al Capone', 'Sociedade
Alternativa', entre tantas outras.